Acho bom eu estar fazendo essa resenha de Botanicula porque, sendo bem sincero, eu não curto muito os jogos desse gênero, o "point and click". Talvez algum dia – essa é uma das frases que eu mais uso, acho – eu escreva uns posts sobre vários gêneros e o que eu gosto e não gosto em cada um, mas em resumo eu acho que a jogabilidade de point-and-click não é pra mim, especialmente quando o jogo não te dá praticamente nenhuma pista do que fazer. Mas estou dizendo isso só pra levar em conta, vamos à resenha...

Botanicula
Botanicula

Botanicula, da Amanita Design(a mesma de Samorost e Machinarium, que vão ganhar os próprios posts, também :D) é um jogo de aventura que conta uma história. A história de 5 criaturinhas estranhas que vivem em uma árvore luminosa e têm que salvar a última semente que resta quando essa árvore é invadida por aranhas do mal... ou algo assim. A jogabilidade é point-and-click tradicional, onde você clica em elementos na tela e alguma coisa acontece, seja os personagens se movendo pela cena ou interagindo com os diferentes objetos. Existem obstáculos que devem ser transpostos seja coletando itens espalhados pelas cenas ou executando uma determinada sequência de ações para ativar um efeito desejado.

Os heróis
Os heróis
O jogo tem a seu favor o visual e o estilo narrativo clássico da Amanita, com uma aparência que dá a impressão de colagens de imagens hiperrealistas e surrealistas, e embora seja tudo muito bizarro, a história é bem contada embora se perca muito nos meandros de sidequests e "caças ao tesouro" que são características do gênero.

Em vários pontos não é muito claro o que deve ser feito e exceto pelo objetivo principal da história, não há muita motivação para se dedicar ao andar do jogo, que é bastante repetitivo e sem rumo no início, mas fica bem mais interessante à medida que a história avança.

Na realidade, o trecho final do jogo é o mais interessante pela mudança drástica de jogabilidade nos diferentes trechos, o que aliás acontece em outros pontos do jogo, mas com menos frequência. Estes momentos e as poucas ocasiões onde realmente se justifica a existência de 5 personagens diferentes, são talvez os melhores momentos do jogo e gostaria de ter visto mais disso ao longo da história, mas é a vida...

Botanicula é um bom jogo, embora não tenha despertado muito minha atenção pela minha já anterior afinidade com o gênero. Em vários pontos ele é apreciável mesmo como arte, e dá pra ver que o time da Amanita realmente se esforçou para criar o pequeno mundo de Botanicula em todos os detalhes e animações e formas de vida estranhas – das quais você mantém um registro como cartinhas colecionáveis. Então... se você é do tipo que curte um bom point-and-click, com certeza vai curtir Botanicula à beça! :P

Nota: 3.5/5