Uma das coisas maravilhosas dessa maravilhosa indústria que são os jogos indie é que hoje em dia temos uma relação quase íntima com o processo de produção de um jogo, se comparado a como era há aí uns 15 anos atrás(naquela época um jogo saía quando saía, de vez em quando rolava um demo). Hoje em dia o acesso adiantado aos jogos é uma coisa muito boa porque dá aos criadores uma possibilidade de receber feedback o quanto antes da comunidade de jogadores, com tempo de folga pra consertar tudo antes que o jogo saia. Em geral a expectativa é de que uma versão em estágios iniciais de desenvolvimento seja um produto inferior, se comparado à expectativa final. Em alguns casos, entretanto, é uma surpresa agradável.

Uma dessas surpresas agradáveis, por exemplo, foi este fantástico jogo de construção e estratégia chamado Dungeon Colony!

Não é bem esse tipo de Dugeon Master, mas ok.
Não é bem esse tipo de Dugeon Master, mas ok.

Então, em Dungeon Colony você joga como um "Dungeon Master", um tipo de goblin com alguns poderes mágicos, recém-chegado a uma aconchegante montanha que parece um ótimo local pra começar uma nova vida. E seria, não fossem os reinos vizinhos e seus heróis que chegam com a intenção de saquear o que for possível de vez em quando, fora a fauna local. Então seu objetivo é cavar sua própria masmorra de forma que seja um local adequado para a vida de sua raça, mantendo todo o seu séquito propriamente alimentado e pago(afinal de contas você é um senhor absoluto porém decente).

Dungeon Colony mistura gêneros de estratégia, com elementos de RTS, tower defense e também um bocado de construção e crafting. Ele é à primeira vista bastante similar ao clássico Dungeon Keeper, mas ainda sem a variedade de monstros e um sistema de construção e aquisição de rescursos mais remanescente de RTSs mais clássicos. O jogo não tem um objetivo claro (ainda), mas é tranquilo de entender e vai se tornando mais interessante a cada tentativa(porque, sim, é um daqueles jogos em que dá pra perder fácil mesmo no modo normal :P).

O jogo é multiplataforma – roda em Java – e está de graça enquanto ainda está em alfa. Como fã do gênero e mais especificamente de jogos como Dwarf Fortress, eu estou apoiando este jogo horrores, e dá pra perder algumas boas horas tentando cavar uma bela caverna pro seu (pequeno) exército de monstros, e as coisas devem melhorar em breve à medida que o desenvolvimento for seguindo. E no que me diz respeito, esse é definitivamente um dos melhores jogos incompletos que eu já joguei.