Finalizando aqui nossa série em "jogos que são mais ou menos como Minecraft, mas não exatamente", já vimos Terraria – Minecraft em plataforma – e Don't Starve – Minecraft em terceira pessoa. Agora voltaremos no tempo para quando eu conheci um dos jogos que serviram de inspiração para a criação de Minecraft, assim gerando um paradigma de construção e pesquisa que define todos os jogos deste gênero indefinido.

Não, não vamos falar de Infiniminer. Vamos falar de Dwarf Fortress.

Não se preocupe, você já vai entender...
Não se preocupe, você já vai entender...

Dwarf Fortress, assim como Minecraft, Terraria e Don't Starve – e daqui pra frente vou parar de me referir aos pontos em comum do gênero dessa forma, porque cansa XP – não tem muito uma história, mas um conceito. Em Dwarf Fortress, ao invés de um personagem específico – ou totalmente genérico –, o jogador assume um ponto de vista de "deus", não apenas pela visão aérea e absoluta do cenário de jogo, mas também porque tem nas mãos o destino de todo um povo. O jogo começa com uma comitiva de anões colonistas procurando um local para se estabelecer. Em um mundo gerado dinamicamente com fatores incrivelmente complexos – o jogo chega a gerar figuras históricas no mundo, no kidding –, dizer que Dwarf Fortress é um jogo complexo é uma tremenda de uma atenuação.

A começar pela interface totalmente feita em caracteres ASCII – ou seja, letras, número e símbolos, sem imagens ou sprites –, Dwarf Fortress é um jogo complexo e intrincado em que a administração competente de recursos e pessoas pode ser a diferença entre a vida e a morte de um povo. Anões sentem fome, sede, sono, atraem a cobiça de salteadores e precisam de um mínimo de conforto para que tudo ande nos trilhos. Estabelecer estoques em pontos apropriados, treinar milícias e profissionais em várias áreas de indústria, gerenciar os imigrantes que aparecem de quando em quando são apenas uma pequena parte dos desafios do jogo. No final das contas, este é um jogo que tem como mote "Perder é divertido."

Não é um jogo simples. Não é um jogo fácil. Mas é um jogo extremamente recompensador.

Eu demorei mais ou menos três ou quatro tentativas – usando este manual – até finalmente pegar o espírito do jogo. Lá pra sétima vez eu resolvi experimentar praticamente toda tecnologia que me estava disponível, com a ajuda de mais manuais e da wiki, e obviamente as coisas não deram muito certo. Mas o interessante – ou mesmo, divertido – em começar novamente é que a cada vez coisas diferentes vão acontecer. As condições não serão as mesmas. Cada fortaleza tem vantagens e desvantagens diferentes, e no final das contas cada derrota é diferente. E cometendo erros diferentes é que se aprende coisas novas. Daí vem a recompensa, a de se dar conta de que sim, a coisas estão dando certo desta vez, porque aprendemos com nossas falhas. Nos erguemos nos ombros de gigantes, exceto que neste caso os gigantes são as pilhas de cadáveres de anões intrépidos, mas acho que você pegou o espírito da coisa.

E afinal, Dwarf Fortress não é complexo apenas pela jogabilidade, mas pela implementação. Cada criatura em DF tem sua própria história, seus interesses, suas habilidades, e a simulação do jogo às vezes surpreende – com histórias de carpas carnívoras comedoras de gente e anões que se recusam a deixar o túmulo de seus cônjuges e tragicamente morrem de fome. É um mundo complexo e rico, tanto que sessões de jogo facilmente se tornam histórias.

As características extremamente intimidadoras de Dwarf Fortress são também o que dá a satisfação de "vencer" o jogo, onde vencer no caso significa conseguir jogá-lo. E sim, há recursos para tornar o jogo mais familiar – skins com sprites, os manuais, programas auxiliares que ajudam a organizar as centenas de moradores da sua fortaleza subterrânea... –, mas em suma este jogo em si é um tesouro de simulação, e vale muito a força de vontade necessária para jogá-lo. Claro, não à toa tem uma legião de fãs – ok, é nicho, mas tá valendo – e serviu de inspiração para todo um gênero.

E claro, como não vou conseguir superar Dwarf Fortress tão cedo, vamos mudar de assunto. Próxima resenha, vamos para... o espaço! Até mais! :D

(Assim que eu lembrar exatamente o que eu estava planejando resenhar... :/ )