Eraserhead(1977) foi o primeiro filme de David Lynch. Isso mesmo, David Lynch. Se você não conhece David Lynch, bem... Lynch é um grande expoente do cinema surrealista. Eraserhead, aliás, deixa isso bem claro. Claro demais, até. Tentarei resumir o filme.

Eraserhead - Poster
Eraserhead - Poster

Jack Nance é Henry Spencer, e Henry tem um filho com sua namorada Mary X. O bebê, prematuro e bizarramente deformado, é deixado aos cuidados de Henry quando Mary não consegue mais suportar seu choro incessante. Henry cogita ter um caso com sua bela vizinha do apartamento da frente. Há um maquinista que vive em um asteróide, e uma mulher que vive dentro do radiador de Henry. Tudo é provavelmente uma metáfora, ou não.

Eu estaria mentindo se dissesse que Eraserhead tem um significado claro e ainda mais se eu dissesse que eu o sei. Existe uma proto-história e uma mensagem(várias, na verdade) por trás das imagens que se desdobram na tela, mas Eraserhead é, em verdade, mais uma obra de arte surreal do que um filme típico. Arrisco dizer, é um filme de horror surreal, e consegue ser mais efetivo do que a maioria dos filmes de terror atuais(se é que se pode chamar "gorn" de terror). Existe um sentimento de desconforto e total incerteza em praticamente todo momento do filme.

E isto é o que o faz simplesmente genial.

Eu... eu não faço nem idéia.
Eu... eu não faço nem idéia.

Enfim, algumas palavras sobre o final(sem maiores revelações, não se preocupe). Um crítico da revista Variety descreve o clímax de Eraserhead como "inassistível" e, a bem da verdade... isto é bem próximo da verdade. Levando em consideração tudo o que acontece até este ponto – "frangos artificiais" que sangram espontaneamente, cordões umbilicais aparecendo sem nenhuma explicação e o onipresente bebê de Henry e Mary –, este é um aviso que deve ser feito. Mas, a despeito disso, é uma recomendação minha para qualquer cinéfilo que porventura leia este blog.

E sinceramente, eu não vou me arriscar a dar uma nota. Em uma escala vertical de 0 a 10, ele está a uns dois metros para a direita, se é que me entende...