Eu pensei em começar este post com uma breve discussão no tema "videogames podem ser arte", mas daí eu cheguei à conclusão de que não tenho muito argumento formal pra levar isso adiante. Eu responderia a essa questão com um simples "sim, por que não?" afinal acho que os games já nos mostraram há muito que podem contar histórias de forma bem diferente do que outras mídias e também podem ser incrivelmente estonteantes no quesito visual, mesmo jogos sem grandes orçamentos ou nomes de grandes companhias por trás. Por exemplo: Journey.

Journey: onde toda companhia é uma surpresa!
Journey: onde toda companhia é uma surpresa!

Journey é um jogo recente lançado na PSN pela That Game Company, que também está por trás do imersivo Flower, embora o jogo não tenha muito sentido a não ser pela experiência. Mas voltemos a Journey. O jogo começa com um peregrino(ou peregrina, acho que tá valendo) olhando no horizonte uma misteriosa luz brilhando de uma montanha, e você como este peregrino misterioso deve chegar até o seu destino através de deserto, ruínas e montanhas, a cada estágio aprendendo um pouco da história do seu próprio povo de forma extremamente pictórica.

A ponte quebrada e seu visual estonteante!
A ponte quebrada e seu visual estonteante!
Journey tem uma história envolvente, e adiciona a isso dois outros ótimos fatores. Primeiro, os gráficos são incríveis! Areia fluindo, tecidos ao vento, o interior sombrio e frio das ruínas, a imensidão da neve... tudo é representado lindamente na tela, dando uma cor incrível à história. E, por outro lado, a jogabilidade do jogo é simples porém inovadora. Há pouquíssimos comandos, mas várias maneiras de interagir com o mundo e uma inovadora mecânica que envolve tapeçaria mágica.

Infelizmente, Journey é curto(não dará nem 3 horas de jogo, e isso contando com alguma exploração), e pouco compensa com o multiplayer que é muito interessante, sem quase nenhuma interação a não ser os sinais simbólicos que o jogo te dá, e é bastante direcionado ao cooperativismo. Existe outra característica do jogo que incentiva o replay, mas... isso seria um spoiler. ;D

Jogando com um desconhecido companheiro
Jogando com um desconhecido companheiro
Enfim, recomendo fortemente esta aventura desértica ao lado de criaturas fantásticas feitas de pano em busca do próprio passado. Talvez seja o melhor título da PSN do ano, e olha que o ano nem começou. :P

Nota: 4.8/5