Passando em termos gerais, apenas para mérito de uma introdução, o site de Fábio "Coala" é um site que provavelmente dispensa apresentações. Como a maioria das tiras de humor, é uma mescla de situações desconexas e algumas várias personagens e premissas recorrentes, uma das quais é "O Monstro". O Monstro é um bicho de pelúcia no formato de... bem, um monstro roxo com olhos de core diferentes, asas e uma bolsa na barriga, que serve como um portador de conforto e segurança para aqueles que precisam, passando de mão em mão ao longo do tempo.

Pois bem, neste ano o Coala resolveu trabalhar o conceito do monstro em uma história completa, uma graphic novel. O projeto foi patrocinado no Catarse pelos leitores e bem sucedido, e assim nós pudemos ler e finalmente escrever uma resenha sobre esta obra em quadrinhos sobre um monstro do otimismo.

Senhoras e senhores... O Monstro!

Preparem-se. A fofura está chegando.
Preparem-se. A fofura está chegando.

O livro do Monstro reúne quatro histórias com uma ordem cronológica mais ou menos bem definida – uma das histórias na verdade está entrelaçada no meio das outras três –, com o tom introspectivo, emocional e geralmente otimista que as histórias do Monstro têm. Trata-se da história de três pessoas e como o Monstro entrou em suas vidas, e como ele as ajudou a resolver seus problemas, numa representação metafórica de um diálogo interior com uma besta gigante e fofinha(às vezes com a ajuda de uma ou outra pessoa real, também).

Visualmente, além do traço familiar e agradável do Coala, a parte mais impressionante da história acontece quando o Monstro se mostra mais do que um simples objeto. Em cada história o simpático titã é desenhado num estilo diferente, que eu não consigo dizer se é relacionado ao tom da história em si – pelo menos na primeira ele tem uma forma que condiz com a imagem que ele tem para o primeiro protagonista –, mas é uma interessante decisão a se aplicar em um personagem que é, até onde sabemos, imaginário.

O tom da história – novamente, condizente com a tradicional tira do Monstro – é bastante sentimental. Enfatizo isto porque ler O Monstro em um dia de humor, digamos, cínico, pode ser uma má idéia. É uma história, sobretudo, motivacional, e histórias motivacionais têm o péssimo hábito de serem, digamos, piegas às vezes. Na intenção do autor, entretanto, eu acho que ela cumpre muito bem seu papel, e com a disposição certa pode causar a aparição repentina de ninjas cortadores de cebolas1.

Enfim, agora que o projeto terminou e alguns meses se passaram, a graphic novel provavelmente está disponível na loja do site. É uma história boa, com uma boa duração para uma graphic novel, e um produto de alta qualidade vindo de um dos melhores quadrinistas da internet brasileira – minha humilde opinião aqui, claro. Se você estava procurando uma graphic novel nacional, não procure mais. Compre este livro e leia-o, e prepare para uma boa dose de bons sentimentos. Eles serão inevitáveis.


1 expressão recorrente do próprio autor, uma das minhas peferidas.