Kyle Kallgren é a pessoa por trás de uma série de resenhas em vídeo chamada Brows Held High1, provavelmente a minha favorita. É uma série sobre filmes artísticos que consegue ao mesmo tempo prover análises profundas sobre o conteúdo da obra e entreter o espectador com comentários humorísticos. É basicamente o que chamam de "edutainment", só que bom.

Mas a questão não é nem o show em si – eu ainda não defini uma política quanto a resenhar conteúdo estrangeiro sem nenhum tipo de legendas –, mas que o senhor Kallgren abriu um tumblr aí na semana passada e eu comecei a acompanhá-lo, e tive de parar horas depois por causa do influxo enorme de perguntas e respostas que estava havendo lá, e eu obviamente seria incapaz de acompanhar.

Mas não antes de ler este post aqui.

Pra você meu leitor que não lê inglês muito bem(ou de forma nenhuma), a pergunta é de uma pessoa que estava planejando em fazer uma série de resenhas sobre filmes com temática LGBT e acabou desistindo mas não tinha certeza e perguntou, em suma, se deveria parar ou não. A resposta, resumo e traduzo:

(...) Dito isto, eu nunca diria a ninguém para não criar coisas. Se você decidir fazê-lo, vá em frente sem esperar uma audiência. Faça isso por você.

Então, chegamos ao que o título prometeu. Na remota possibilidade de que este blog de resenhas se torne algo famoso até certo nível e inspire alguém a começar seu próprio site também, espero que você chegue a ler este conselho. A não ser que você já tenha uma audiência – e, em geral, na internet não se tem – não comece a escrever – ou desenhar, ou gravar vídeos – para "ficar famoso". Fama em geral é uma combinação de dois fatores: visibilidade e qualidade. A visibilidade é o que leva pessoas para você. Qualidade é o que vai fazer as pessoas voltarem e trazerem outras pessoas consigo.

E a melhor maneira de garantir qualidade é ter alguma paixão pelo que se faz. Então, por incrível que o pareça, vale aqui um dos conselhos mais falhos na hora de escolher uma carreira: faça o que você gosta.

Obviamente, este conselho também é um belo empurrão para mim mesmo, afinal, volta e meia eu tenho de lembrar a mim mesmo por que cargas d'água eu ainda escrevo resenhas(e, ocasionalmente, editoriais)

Além disso, este vídeo, uma montagem tipográfica de um discurso de Ira Glass sobre storytelling, é um conselho sensacional pra todo mundo que está começando, que aliás começa com "ninguém conta aos iniciantes..."

Ira Glass on Storytelling from David Shiyang Liu on Vimeo.

Então foram dois conselhos. Aproveite, que eles estão de graça. =D


1 E para que não digam que eu não ensino nada a vocês, o título é um trocadilho com a expressão "High-Brow", que significa conteúdo "alto nível", especialmente aquele voltado para público intelectual, como é o objeto de estudo da série.